Thursday, January 05, 2006

Popozão + Federline





Olha o nível!

Após algumas tristezas com que começamos o ano e de que já falei anteriormente, lembremo-nos que temos sempre a música para desafogar as nossas mágoas. Mas musicalmente o ano também não começa lá muito auspicioso. Dia 1 de Janeiro foi o dia em que Kevin Federline, o bailarino que se casou com Britney Spears se estreou a sério no mundo da música mesmo apesar de ainda não ter conseguido arranjar um contrato numa editora.

Para quem dizia musicalmente mal de Britney após ouvirem Federline no seu single de apresentação vão achar que Britney até é o menor dos males. O bailarino lançou para supresa de todos uma canção baseada em ritmos de funk brasileiro das favelas. Para quem não sabe que estilo é este, talvez se lembrem dos Bonde do Tigrão, famosos por um dos plágios mais descarados da História em que roubam completamente a "malha" de Headhunter dos Front242. Musicalmente este estilo é composto de batidas funk muito simples e quase sempre com letras machistas / sexuais que roçam o mau gosto e que faz lembrar um género de Kuduro brasileiro.

E se já houve DJ's e produtores que tentaram tornar o Funk de favela como um objecto musical de culto (Favela Chic por ex) Kevin pretende é mesmo torná-lo popular. Popozão é nome do single de estreia e signfica na gíria das favelas "cú grande" ou numa linguagem mais abrasileirada "bunda grande". Ora o título não engana. A música em si é pobre limitando-se quase só pelos ritmos básicos do funk. A letra do qual transcrevo esta parte fala por si:

Bring your ass on the floor and move it real fast
I wanna see your kitty and a little bit of titty

Feder arranha mesmo uma frase em Português "Gatinha sai do chão, Vai descendo o popozão". Ora está visto que Federline não tem sequer talento para compôr uma melhor na sua estreia até porque na verdade nem sequer deveria conhecer estas sonoridades se não lhes tivessem sido apresentadas pelo seu produtor brasileiro. E é claro que ficamos também então à espera que Mr. Spears lance depois um teledisco a condizer, tendo os mesmos condimentos de qualquer teledisco americano de Hip-Hop/Rap, ou seja muitas gajas (popuzudas) a abanarem-se. Nada mais básico e directo para cativar o mercado.

O curioso é que esta tentativa medíocre de Federline pode trazer a esta sonoridade uma atenção nunca vista e muito mais gente pode pegar nesta deixa. Será que após o Reagaetton teremos no próximo verão o funk das favelas como música dos tops musicais?

Música para escutar aqui:
Tirar antes que despareça #1
Tirar antes que despareça #2
Tirar antes que despareça #3

Página oficial do Single

5 comments:

luís said...

o artwork do blog é absolutamente DELICIOSO. brutal!

Atomo! said...

Pois já existia esta 'brazil vibe' durante o passado ano... nota-se isso muito numa certa club culture britanica que está a tentar distanciar-se nos fenómenos de Ibiza (que já muita aqui gente considera 'poucochinha').

Agora nas vésperas do campeonato do mundo a coisa tornar-se-a ainda mais visível... até à naúsea suponho (LOL)

Nuno Barros said...

Eu pelo que li aí no Reino Unido abriram (não sei quando) um restaurante do "Favela Chic" e lançaram um CD. Deve ser essa onda de que falas e que eu claro não a senti. ;)
Pensei que o Ibiza já estivesse mais bem out pelo mundo. É claro que aqui existe ainda aqui muita discoteca (sobretudo no interiores e algalves) a apostar na onda.

Eu se quiser uma onda mais brazuca meto o delicioso "Midisport - 14 footballers in Milkchocolate" do Sr.Atom Heart. ;)

António A. Antunes said...

Parabéns pelo Blog! Voltarei seguramente!

Anonimo said...

O mundo será melhor quando as pessoas deixarem as outras serem elas mesmas, não julgar suas tentativas, se abstraindo do elitismo burro que assola a humanidade.

Quem é que nunca dançou ou escutou uma música pra se divertir, que atire a primeira pedra.

Ninguém precisa de talento pra compor ou pra cantar, se ela consegue numa boate fazer 100 pessoas se esquecerem do seu dia-a-dia brutal por alguns segundos.

Vamos deixar os outros se divertirem, ser mais tolerantes, e consequentemente nos divertir mais.

Esse é meu voto pra 2006. E adorei a música. Quem acha que samplear é fácil, comece uma vez. Assim toda vez voce vai lembrar que uma música sampleada sempre é feita por alguem de talento.