Tuesday, April 04, 2006

José Cid @ Maxime



Kitsch Superstar!



"Eu fui ao Maxime e vi o Cid!". Músicos, celebridades, críticos, gente fina, gente comum extasiaram-se em duas noites esgotadas de José Cid no mítico Maxime, ex-casa de alterne, agora gerido por João Manuel Vieira. Sobre essas noites não comento, não estive lá (tenho pena realmente) e outros estarão mais habilitados para tal.

Falarei aqui sobre o fenómeno "Cid" pois algo mudou. Dantes era um culto kistch semi-escondido e envergonhado. Confessava-se em surdina a sua admiração por Cid um pouco com receio de ser mal-visto. Agora é de muito bom tom referir abertamente o apreço pelo "Mestre". Porque se aprecia verdadeiramente e somente o mundo kitschiano de Cid? Porque se aprecia as muitas geniais facetas da música de Cid? Não o sei dizer. Cada cabeça, sua sentença. Alguns talvez só levem em conta uma das facetas, outros ambas. Mas muitos outros talvez porque agora parece ser moda e isso torna perigosamente José Cid a ser equiparado a uma anedota pública como José Castelo Branco.

Certo é que existe agora uma validação deste culto elevando-o a um fenómeno aprovado. A divulgação de tais concertos nos jornais, de crónicas em blogs musicais respeitaveis (como o Juramento sem Bandeira de Vitor Junqueira) dão legitimidade ao culto. O facto de o próprio Rodrigo Nogueira, responsável pelo afamado Blog Clube de Fãs de José Cid já não ter feito crítica no seu blog pessoal mas sim no mais "respeitável" Bodyspace aponta nesta direcção. O culto já não é underground, tem aprovação da crítica musical, dos media, do star-system, do público em geral.

Eu estou expectante. Não sei e não imagino se esta popularidade súbita seja nefasta ou não para o puro deleite kistchiano ou do talento musical de Cid. Espero é que realmente se aprecie Cid em si, não pelo fenómeno, não pela risada fácil das extravagâncias de José Cid. Este homem é grande pelo que fez musicalmente. Seja na vertente mais arty e já remota que muito esquecem ou no lado mais popular e "foleiro". O sua genialidade estava presente nas várias ocasiões. Cid é mesmo mãe do Rock Português...

4 comments:

Abssinto said...

Embora tenha morrido na praia acredito que o concerto tenha sido mesmo bom porque José Cid é um músico de grande QUALIDADE. Quem nega a beleza de músicas como "20 anos", "Verdes trigais em flor", "A lenda de El-Rey D. Sebastião", "A mansarda"? Melhor que o Cid só mesmo o Espadinha (no fundo só queria mesmo dizer isto)

xá-das-5 said...

as polaroids digitais dessas noites estão num blog criado para assinalar a confusão da praça da alegria.

http://cid-adao.blogspot.com

nELSON mIGUEL said...

O "Mestre" vai estar no Porto, no Teatro Sá da Bandeira, no dia 09 de Junho.

Nuno Barros said...

Já tinha lido algure sobre isso. tomou-lhe o gosto e não quer outra coisa...